Contato : +33 (0)4 42 26 40 34 WhatsApp : +33 (0)6 09 01 49 97

A amapaense Vanessa dos Santos abre o jogo com o “Persa” e confessa que, apesar das belezas locais, espera voltar ao Brasil.

Vanessa dos Santos é uma morena de 31 anos e de olhos puxados que enfeitiçou o coração de um belga de passagem por Macapá. Depois do encontro em 2004, de um inesquecível passeio de barco, da aprovação dos filhos do moço e do dela, veio o pedido de casamento. Um mês depois. Hoje, Vanessa vive em Sisteron com o marido e os três filhos, é representante da Natura, trabalha temporariamente na colheita das maçãs e sonha com o retorno ao Brasil.

Como você veio parar no sul da França ? Através do meu marido que conheci no Brasil.

Quais são os motivos de alegria depois que saiu do Brasil : meu marido e filhos.

E quais são os motivos de tristeza depois da partida : estar longe da minha família.

Quais os hábitos que foram adquiridos na França : comer doces e chocolate.

Do que você mais sente falta em relação ao Brasil ? Da comidinha da mamãe e do jeitinho do brasileiro. Os franceses são muito diferentes.

Qual a língua que você fala dentro de casa ? Português com os meus filhos e francês com o meu marido.

Se o seu marido é estrangeiro ele fala português ? Sim, ele é belga, mas fala um pouco o português.

Os seus filhos são bilíngues ? São.

Por quê você decidiu ensinar o português a eles ?
Não devemos esquecer que somos brasileiros e que os nossos filhos, mesmo morando fora do país, também são. Acredito que aprender o português vai ser muito útil para eles, além de que, no futuro, eles sempre vão precisar da língua para ter um bom contato com os parentes que moram no Brasil.

Quais são as maiores dificuldades vividas por aqui ?
O frio que mal podemos suportar, os meios de transporte que não são eficientes em toda a região (o que exige a compra de um carro), as pessoas preconceituosas, e é claro, a impossibilidade de encontrar um emprego.

Você continua exercendo a mesma atividade ou passou por uma reconversão profissional ?
Infelizmente, nem uma coisa nem outra.

Foi difícil encontrar um emprego ?
Trabalhava como doméstica no Brasil e mesmo depois de cinco anos ainda está sendo difícil encontrar um emprego aqui.

Quais são as facilidades francesas que não existem no Brasil e que são fundamentais na sua vida hoje ? O sistema de saúde.

Na cozinha, qual é a culinária que manda a brasileira ou a francesa ?
As duas, mas gosto mais da brasileira.

O que você faz quando fica com vontade de comer algo que s? dá para fazer no Brasil ?
Fico tristérrima! Ligo para a minha mãezinha para saber se ela pode me mandar e espero um mês para comer!

Qual é a primeira coisa que encomenda quando alguém da família ou um amigo vem da terrinha lhe visitar ?
Aiii! São tantas! Mas, claro, as duas primeiras são: o meu açaí e a polpa do cupuaçu. Hummm, s? de pensar me dá água na boca!

Qual é o restaurante da sua cidade que recomendaria para um amigo ?
Não sou muito de comer em restaurante, prefiro uma comidinha caseira.

E para comer seria o quê ?
Depende do tempo, inverno ou verão. No inverno nada melhor que um bom pot-au-feu (um tradicional ensopado francês à base de carne e legumes) e no verão uma salada.

Qual é a melhor opção para indicar a um amigo : hotel, casa de h?spedes ou gîte ?
Depende. Se ele quer paz, um gîte; se não, uma casa de h?spedes pode ser uma opção bem legal.

O que você não recomendaria de jeito nenhum ?
Impossível de não recomendar nada na França. O país é lindo e mais ainda a região dos Alpes-deHaute-Provence.

Você volta ao Brasil com qual frequência ?
Quando o dinheiro dá uma vez por ano nas férias das crianças de julho a agosto.

Você pensa em voltar para o Brasil ?
Não apenas eu, mas meu marido e até mesmo os meus filhos que não conhecem bem o Brasil. Temos planos para voltar a morar definitivamente por lá e investir no turismo.

Procurando hospedagem ? 

Clique aqui e veja com quem trabalhamos: Booking. 

A nossa assessoria é gratuita para todos os clientes que optam por se hospedar com os nossos parceiros. Além de contar com a consultoria de quem conhece e mora na Provence, você não paga mais nem um centavo por isso.

Aguardamos o seu mail caso tenha alguma dúvida de como funciona o nosso serviço: site@naprovence.com.

Tags:, , , , ,

2 Replies to “A amapaense Vanessa dos Santos abre o jogo com o “Persa” e confessa que, apesar das belezas locais, espera voltar ao Brasil.”

Emilli
18 fevereiro 2014
Olá,gostaria de trabalhar na colheita na França,como faço? Dicas pessoal!
Responder
    Anaté Merger
    19 fevereiro 2014
    Oi Emilli, tudo bem? Você deve procurar o departamento que cuida da agricultura na França, como nao trabalho com isso, nao faço a menor ideia de como e onde pode se inscrever. Boa sorte!
    Responder

Deixe um comentário

Nota: Os comentários no site refletem as opiniões de seus autores, e não necessariamente as opiniões do portal de internet NaProvence. Você deve abster-se de insultos, palavrões e expressões vulgares. Reservamo-nos o direito de excluir qualquer comentário sem aviso prévio ou explicações.

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são assinados com *