Contato : +33 (0)4 42 26 40 34 WhatsApp : +33 (0)6 09 01 49 97

Os campos de lavanda de Sault.

E la fomos nós para mais um passeio pelos campos de lavanda da Provence, desta vez, para Sault. O nome estranho é da cidade conhecida como a “capital da lavanda”. A planta que transforma o planalto do Vaucluse em um “mar azul” é cultivada na região desde os romanos. Mas antes desse novo encontro, passo na casa de uma amiga para deixar a visita ainda mais divertida.

Saímos de Aix-en-Provence às 9h30 da manhã para evitar o sol muito quente. Passamos por Lourmarin e muitas outras cidadezinhas e começamos a subir. A estrada é cheia de curvas e não tem nada a ver com as excelentes auto-estradas retas e em perfeito estado. A medida que subimos começamos a encontrar os campos e as paradas para as fotos às margens da estrada são obrigatórias.

Sault fica a 765m de altidude, além do sol, a lavanda gosta de altura. Continuamos o passeio até uma nova parada, dessa vez em um mirante onde podemos admirar a beleza do vale e dos imensos retângulos e quadrados roxinhos, roxinhos, festejados sempre no dia 15 de agosto com desfile folclórico e demonstrações de corte da lavanda. Mais um pedaço de estrada e chegamos até o vilarejo.

Sault já foi uma cidade fortificada, hoje o centro velho guarda algumas lembranças desse tempo: ruas estreitas, casas sem prumo e a igreja de Notre-Dame-de-la-Tour do século XII. O calor e a hora do almoço convidam para uma pausa em um dos bares e restaurantes da cidadezinha. Tudo muito simples, sem frescura, com um atendimento informal e que termina com um delicioso sorvete de lavanda com mel.

A visita continua pelas ruas da cidade e termina no lado norte, em frente ao Office de Tourisme, com uma praça que tem uma bela vista para o planalto e os seus campos perfumados.

Para quem quer levar mais do que fotos para casa, lojinhas vendem produtos típicos da região, entre elas, a cooperatia dos produtores Maison des Producteurs (rue de la République): nouggats, mel de lavanda, bouquês, oleos essenciais, azeite de oliva, etc. 

Os amantes da natureza podem continuar o passeio pelos planaltos de Albion (espeleologia, VTT e caminhadas) e o Gorges de la Nesque, no programa: um bom piquenique, muita água e os mapas com algumas sugestões de circuitos pré-estabelecidos à disposição no departamento de turismo da cidade.

Para os apressadinhos de plantão que acham que podem visitar a Provence em um dia: apenas com o passeio pelos campos de lavanda, almoço e a visita ao vilarejo, chegamos em casa às 16h. A beleza tem essa exigência: para ser apreciada precisa de tempo.

Procurando hospedagem ? 

Clique aqui e veja com quem trabalhamos: Booking. 

A nossa assessoria é gratuita para todos os clientes que optam por se hospedar com os nossos parceiros. Além de contar com a consultoria de quem conhece e mora na Provence, você não paga mais nem um centavo por isso.

Aguardamos o seu mail caso tenha alguma dúvida de como funciona o nosso serviço: site@naprovence.com.

Tags:, , ,

3 Replies to “Os campos de lavanda de Sault.”

Izabel
5 julho 2014
Olá! A que distancia de Aix você já encontra os primeiros campos de lavanda? Obrigada!
Responder
    Anaté Merger
    8 julho 2014
    Oi Izabel, tudo bem? Os campos mais proximos ficam a uma hora de Aix. Beijo!
    Responder
Katia Demovis
25 setembro 2019
Bom dia! Estive em Sault no início desse mês, especificamente no dia 10 de setembro. Infelizmente não foi possível ver os campos de lavanda floridos pois elas já haviam sido colhidas. Mas mesmo assim a cidade é encantadora! É um vilarejo que parece ter saído dos contos de fadas! Tão pequeno e tão acolhedor! E com uma vista deslumbrante (mesmo sem as florzinhas...). E o dia da feira de produtos típicos!!! É de enlouquecer de tantas cores, frutas, queijos, vinhos e MUITAS coisas feitas com lavanda, inclusive artesanato... uma delícia! Agora em setembro a feira foi na quarta-feira mas não sei se muda ao longo do ano. Adoramos! Mas infelizmente tivemos um problema muito sério e gostaria de registrar aqui para evitar que outros turistas passem pela experiência horrível que passamos. Já havíamos passado por Sault em uma viagem anterior, mas esse ano queríamos passar pelo menos uma noite lá para aproveitar ainda mais. Como é uma cidade muito pequena mesmo havia pouquísimas opções de hotel e sabíamos que não haveria nada muito luxuoso. Acabamos optando pelo hotel Le Signoret pois era em cima de um restaurante onde já tínhamos almoçado e sabiamos que era bem no centro da cidade. A diária do hotel já foi cobrada do cartão no ato da reserva 3 meses antes da viagem, mas tudo bem pois isso estava descrito no Booking. Achei estranho pois logo depois recebi uma mensagem do hotel dizendo que eles já precisavam saber meu horário de chegada, de saída, se ia tomar café da manhã no hotel e se ia usar estacionamento. Informaram que a Recepção do hotel funcionava das 16:00 às 19:00. Valores descritos: Chegada antes das 16:00 - 20 Euros, Check out após às 11:00 - 40:00 Euros, Estacionamento - 40,00 Euros por dia e café da manhã - 20,00 Euros por pessoa. Gente!! Era um hotel super simples e a diária custava 50 Euros! E como eu já havia passado por lá eu já sabia que a cidade possui uns bolsões de estacionamento onde você pode estacionar GRATUITAMENTE, sem risco nenhum pois a cidade é muito segura! Enfim, chegamos no hotel na data marcada, um pouco antes para aproveitar a cidade. Às 16:00 fomos para o hotel fazer o check in, esperamos até 16:30, ninguém chegou, porta trancada e luzes apagadas. Ligamos diversas vezes para os telefones de emergência que constavam num cartaz na porta mas ninguém atendeu. Fui até o Office de Turisme e perguntei se ela podia me ajudar mas ela disse que com esse hotel ela não tinha nenhum contato pois eles davam muito problema. E me deu um panfleto contendo os outros hotéis da cidade caso tivesse problema com esse. Preciso dizer que saí de lá bem preocupada... Passou um carro de polícia e eu chamei, perguntei se eles podiam me ajudar pois tinha uma reserva para aquela noite já paga, já era por volta das 17:00 e o hotel estava fechado. O policial foi comigo lá e ligou para o telefone de emergência. A pessoa atendeu, disse a ele que já tinha me passado um e-mail com a senha da porta e dizendo onde estava a chave do meu quarto, o que era mentira, esse e-mail chegou bem depois que o policial foi embora. Entramos, fomos para o quarto, que era HORRÍVEL! Precário!! Só faltava ter beliches, o resto era um terror, tinha até cheiro de mofo! Quando escutei que alguém chegou na Recepção, que já era por volta das 17:30, fui até lá. Fui tratada com deboche, ironia e desrespeito. Falei que queria meu diheiro de volta e que não ficaria naquele lugar. Ela se recusou a me devolver meus 50 euros já pagos e eu perguntei: e os 20 euros que você deve me pagar? porque se eu chegasse antecipada ou atrasada eu teria que pagar, você chegou quase duas horas atrasada. Ela gargalhou e disse que isso só valia para turistas e não para o hotel. Enfim, pegamos nossas malas e fomos embora de lá. O gerente ficou na porta GRITANDO para irmos embora logo pois não éramos bem vindos lá. Acredito que essa reação tenha sido porque pedi ajuda para a polícia. Fui para o hotel Le Relais, indicado pelo Office de Turisme. Uma gracinha de hotel! Fui muito bem recebida! O quarto era simples mas muito aconchegante, espaçoso e o chuveiro delicioso! Finalmente pudemos decansar e passamos muito bem a noite. E no dia seguinte era a feira! Sensacional, passeamos por tudo e paramos em cada barraca. Quando nos demos conta estávamos em frente ao restaurante do hotel Le Signoret, aquele que praticamente nos expulsou. O dono estava colocando as mesas na calçada para o almoço. Fui até ele e perguntei se era ele que tinha gritado conosco no dia anterior, pois não me lembrava da fisionomia dele e ele disse que era ele mesmo. Então eu disse que ele jamais poderia tratar um turista como havia nos tratado pois quando um turista reserva um hotel não espera somente uma cama, mas ser recebido com gentileza, receber informações da cidade, enfim, ser acolhido, afinal estava pagando por isso. Ele disse que o hotel era dele e ele agia como queria. Eu o chamei de desonesto. ELE ME PEGOU PELO BRAÇO, BEM FORTE, ME ARRASTOU PELA CALÇADA E ME JOGOU NA RUA!! O feirante veio me ajudar a levantar. QUANDO OLHEI PARA TRÁS ELE TINHA ENTRADO NO RESTAURANTE, SAIU SEGURANDO UM BALDE E ME DEU UM BANHO DE ÁGUA SUJA!!!! ME ENSOPOU DA CABEÇA AOS PÉS! Meu cabelo ficou ensopado pingando água suja! Posso garantir que foi uma das piores experiências que passei na vida durante alguma viagem! Reclamei no Office de Turisme, que tentou chamar a polícia, que fica numa cidade próxima mas a viatura tinha saído e voltaria só mais tarde. Infelizmente não pude esperar para registrar queixa pois tinha reserva de hotel em outra cidade que também tinha horário apertado para o check in e precisei ir embora, De qualquer forma a atendente do Office foi muito atenciosa, lamentou muito o occorrido, pediu desculpas em nome da cidade e me pediu para mandar um e-mail bem detalhado pois ela ia encaminhar ao Prefeito pois todos os dias ela recebia reclamações de agressões verbais daquele hotel, mas aquela foi a primeira agressão física e isso passava todos os limites. Continuei minha viagem, passei por Valensole, Moustier St, Marrie, Cassis e Nice. Mas preciso dizer que a exaustão emocional que essa agressão me causou estragou todo o restante da viagem, cada vez que me lembrava daquele homem enorme me arrastando sem saber o que ia acontecer comigo eu começava a chorar. Foi realmente assustador. Enviei meu relato como avaliação do hotel pelo Booking.com mas eles me retornaram dizendo que não podiam publicar pois não estava de acordo com a regras deles, as quais jamais me passaram quais eram. O Trip Advisor publicou. Outra dica: não confie nas avaliações do Booking.com pois eles não publicam as negativas. De agora em diante sempre vou verificar as avaliações de um hotel pelo Trip Advisor, jamais pelo Booking.com. Peço desculpas pelo tamanho do relato mas realmente não desejo que ninguém passe pelo que passei, e num lugar tão lindo, mas onde jamais voltarei...
Responder

Deixe um comentário

Nota: Os comentários no site refletem as opiniões de seus autores, e não necessariamente as opiniões do portal de internet NaProvence. Você deve abster-se de insultos, palavrões e expressões vulgares. Reservamo-nos o direito de excluir qualquer comentário sem aviso prévio ou explicações.

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são assinados com *